quinta-feira, 6 de novembro de 2008

MARIA, MÃE DE DEUS?




Gn.3,14-15- “Então o Senhor Deus disse a cobra:-__Por causa do que você fez você será castigada. Entre todos os animais só você receberá esta maldição:de hoje em diante você vai andar se arrastando pelo chão e vai comer o pó da terra. Eu farei com que você e a mulher sejam inimigas uma da outra, e assim também serão inimigas a sua descendência e a descendência dela. Esta esmagará a sua cabeça, e você picará o calcanhar da descendência dela”.

Para falar de Maria a Mãe de Deus, não é necessário pesquisar muito sobre o teor da verdade que está contida na Bíblia Sagrada. O que eu escrevo aqui, é puramente pela fé que me move e que está em mim e de toda as maravilhas que eu tenho lido a respeito de Maria.
Para entendermos melhor, eu fiz questão de destacar um trecho do evangelho neste pequeno diálogo; especificamente do livro do Gênesis que quer dizer: “Criação”. Portanto, eis aí o grande instante da criação sendo narrado no evangelho, profetizando antes de tudo a inimizade entre a Mulher e a serpente. Como disse no início deste pequeno diálogo, é a fé que está em mim que me move a acreditar o que Espírito diz ao meu coração e talvez ao seu coração caro leitor, que a pessoa de Maria é um fato exímio.
Não quero colocar polêmicas relativas à crenças subalternas de outrem e nem tenho portanto a intenção de ser interpretado como um intolerante religioso, mas o que foi escrito no Evangelho é obra do Espírito Santo e como é a fé que me move a acreditar que o que está escrito Nele é palavra de Deus e Nele não deve ser omitido nenhuma letra e nenhum til, levo-me a crer que esta palavra é verdadeira e que Maria é verdadeiramente a cheia de Graça, a Mãe de Deus.

Is.7,14 “Pois o Senhor mesmo lhes dará um sinal: a *jovem que está grávida dará a luz um filho e porá nele o nome de Emanuel”.*

A palavra hebraica aqui traduzida por “jovem” não é o termo especial para “virgem”, porém se refere a uma jovem com idade para se casar, seja virgem ou não. O uso da palavra “virgem” em Mateus1.23; vêm de uma tradução grega do Antigo Testamento, feita uns quinhentos anos depois do profeta Isaías. Emanuel em hebraico quer dizer: “Deus está conosco”.
Se Deus está conosco através de Maria, logo acredito que Deus está com Maria e portanto, estando Deus com Maria o Espírito de Deus encontra-se também com ela:

Mt.1,20 – “Enquanto José estava pensando nisso, um anjo do Senhor apareceu a ele num sonho e disse:___José, descendente de Davi, não tenha medo de receber Maria como sua esposa, pois ela está grávida pelo Espírito Santo”.

O Espírito Santo é a terceira pessoa da Santíssima trindade e estando com Maria, este ilumina todo o seu ser, a luz do Deus que cria todas as coisas se faz presente eternamente porque é graça recebida e graça é sobretudo bênção eterna, nunca se extingue.

Jo.8,12 – “De novo Jesus começou a falar com eles e disse:___Eu sou a luz do mundo; quem me segue nunca andará na escuridão, mas terá a luz da vida.”

Lc.1,46-55 – “Então Maria disse: A minha alma anuncia a grandeza do Senhor. O meu espírito está alegre por causa de Deus, o meu salvador. Pois ele lembrou de mim, sua humilde serva! De agora em diante todos vão me chamar de mulher abençoada, porque o Deus Poderoso fez grandes coisas por mim. O seu nome é santo, e ele mostra a bondade a todos os que o temem em todas as gerações. Deus levanta a sua mão poderosa e derrota os orgulhosos e com todos os planos deles. Derruba dos seus tronos reis poderosos e põe os humildes em altas posições. Dá fartura aos que têm fome e manda os ricos embora com as mãos vazias. Ele cumpriu as promessas que fez aos nossos antepassados e ajudou o povo de Israel, seu servo. Lembrou de mostrar a sua bondade a Abraão e a todos os seus descendentes, para sempre.”


Pois bem, quanto a Jesus Cristo, é Ele o Senhor. Quem afirma a sua procedência é ele mesmo:

Jo.14,8-9 - Disse-lhe Filipe: Senhor, mostra-nos o Pai e isso nos basta. Respondeu Jesus: Há tanto tempo que estou convosco e não me conheceste, Filipe! Aquele que me viu, viu também o Pai. Como, pois, dizes: Mostra-nos o Pai...KenósisDefinição:
(Do gr. = esvaziamento). No NT, emprega-se para significar como o Verbo divino, na Encarnação, aceitou os condicionamentos duma natureza humana ferida pelo pecado, ainda por cima provada até à morte de cruz.

Portanto, se Jesus se coloca como a revelação do Pai, Maria é portanto a Mãe de Deus e pela graça de sua condição divina está destituída do pecado:


Rm.20.- Sobreveio a lei para que abundasse o pecado. Mas onde abundou o pecado, superabundou a graça.

Gostaria de citar outros textos do Evangelho de Jesus Cristo em que o mesmo fala a respeito de João Batista:

Mt.11,11- Em verdade vos digo: entre os filhos das mulheres, não surgiu outro maior que João Batista. No entanto, o menor no Reino dos céus é maior do que ele.

Lc. 1,39-44- Naqueles dias, Maria se levantou e foi às pressas às montanhas, a uma cidade de Judá. Entrou em casa de Zacarias e saudou Isabel. Ora, apenas Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança estremeceu no seu seio; e Isabel ficou cheia do Espírito Santo. E exclamou em alta voz: Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre. Donde me vem esta honra de vir a mim a mãe de meu Senhor? Pois assim que a voz de tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança estremeceu de alegria no meu seio.

Se portanto Maria Isabel, Mãe de João Batista, saudou Maria como a Mãe de Deus e João Batista com toda a sua grandiosidade estremeceu de alegria no ventre da Mãe, quanto mais a nós é permitido saudar Maria como a mãe de Nosso Senhor Jesus Cristo e crermos de todo o coração nos dogmas proclamados pela Igreja Católica Apostólica Romana, a Igreja de Jesus Cristo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem vindo caro amigo, ao fazer seus comentários eu peço por gentileza que modere seus comentários no que se refere a comentários pesados que não se encaixam a proposta deste blog, que é levar uma palavra de vida e salvação a toda a humanidade.
A PAZ DE CRISTO ESTEJA CONTIGO!

Ocorreu um erro neste gadget